O terreno da avaliação é um terreno conceptualmente profuso e difuso onde se acomoda facilmente a desorientação. De facto, quer a bibliografia académica quer a legislação sobre a avaliação confronta-nos com termos como “conhecimentos”, “conteúdos”, “competências”, “capacidades”, “aquisições”, “destrezas”, “habilidades”, “atitudes”, “comportamentos”, etc., sem que sejam imediatamente claras as fronteiras e as correlações existentes entre eles. Tome-se, por um momento, o pacífico título desta comunicação: sugere ele a existência de uma mera relação entre a aprendizagem de competências e a aprendizagem de conteúdos, que me compete aqui esclarecer? Ou será que ela sugere a tese mais forte de que existe uma diferença substantiva, ou mesmo de uma certa oposição, entre avaliar a aprendizagem de competências e avaliar a aprendizagem de conteúdos? Mas, afinal, que relação há entre competências e conteúdos? Este, como muitos outros, é um exemplo de quão difícil é a rede conceptual da avaliação.

Para ler todo o texto faça download do pdf.

O terreno da avaliação é um terreno conceptualmente profuso e difuso onde se acomoda facilmente a desorientação. De facto, quer a bibliografia académica quer a legislação sobre a avaliação confronta-nos com termos como “conhecimentos”, “conteúdos”, “competências”, “capacidades”, “aquisições”, “destrezas”, “habilidades”, “atitudes”, “comportamentos”, etc., sem que sejam imediatamente claras as fronteiras e as correlações existentes entre eles. Tome-se, por um momento, o pacífico título desta comunicação: sugere ele a existência de uma mera relação entre a aprendizagem de competências e a aprendizagem de conteúdos, que me compete aqui esclarecer? Ou será que ela sugere a tese mais forte de que existe uma diferença substantiva, ou mesmo de uma certa oposição, entre avaliar a aprendizagem de competências e avaliar a aprendizagem de conteúdos? Mas, afinal, que relação há entre competências e conteúdos? Este, como muitos outros, é um exemplo de quão difícil é a rede conceptual da avaliação.

ASSOCIAÇÃO DE PROFESSORES DE FILOSOFIA

A Associação de Professores de Filosofia (Apf) é uma associação de professores ligados ao ensino da Filosofia, que se dedica a divulgação e promoção de temas relacionados com a filosofia.

CONHEÇA AS VANTAGENS DOS SÓCIOS APF

Porque a Filosofia interessa a um número cada vez mais alargado de pessoas, podem ser sócios da Apf todos os que se interessarem pela reflexão filosófica e pelo ensino da Filosofia.

PUBLICAÇÕES APF

Constituídas essencialmente pelas comunicações apresentadas em eventos científicos, as publicações da Apf congregam aspetos relevantes do pensamento filosófico português.

RECURSOS FILOSÓFICOS

Aqui poderá encontrar recursos de apoio a reflexão filosófica e ao ensino da Filosofia (Páginas Institucionais e Pessoais; Livros e Artigos; Revistas; Dicionários; e Conceitos Filosóficos).